O mundo todo se une no dia 4 de fevereiro para celebrar o Dia Mundial do Câncer e combater os impactos globais da doença. A FEMAMA é membro da UICC, criadora da data, e envolve o Brasil na mobilização global. A campanha "NÓS PODEMOS. EU POSSO." entra em seu último ano, mostrando como todos – juntos ou individualmente – podem fazer a sua parte para combater o câncer e evitar milhares de mortes desnecessárias pela doença.

 

 

Participe!


#RecadosContraoCâncer


A FEMAMA disponibilizou um álbum com mensagens especiais em sua página no Facebook para que você compartilhe na rede com pessoas importantes em sua vida durante a campanha do Dia Mundial do Câncer. As mensagens trazem dicas sobre como levar uma vida com menos riscos para o câncer, que você pode enviar a amigos para que se comprometam com alguns hábitos com você, e manifestações de apoio e admiração, que você pode enviar para pessoas que enfrentam a doença. Demonstre o seu carinho e preocupação por alguém e nos ajude a disseminar essas mensagens.


Maneiras de participar:


1 – Acesse o álbum e escolha seu recado favorito.
2 – Compartilhe-o na timeline de amigos (as) ou na sua, marcando quem você deseja que receba o recado. Se quiser, acrescente uma mensagem pessoal.
3 – Não esqueça de usar as hashtags oficiais da campanha: #RecadosContraoCâncer, #DiaMundialDoCâncer e #NósPodemosEuPosso.
4 – Se preferir, deixe um comentário no cartão que você gostou, marcando alguém especial.


Acesse o álbum

 


Quiz Dia Mundial do Câncer


Como estão os seus conhecimentos sobre o câncer de mama? Você sabe o que é mito e o que é verdade sobre a doença? Sabe como evita-la ou como lidar com ela? Preparamos um teste especial para descobrir quem você é no Dia Mundial do Câncer, quando o assunto é câncer de mama. Faça o teste!

 


Foto de Perfil com Tema do Dia Mundial do Câncer


Que tal atualizar a sua foto de perfil com o tema do Dia Mundial do Câncer para ajudar a divulgar a causa e demonstrar o seu apoio?


Maneiras de participar:


1 – Em seu perfil no Facebook, toque em sua foto de perfil.
2 – Escolha a opção "Selecionar tema".
3 – Localize e selecione o tema Dia Mundial do Câncer.
4 – Confirme e aplique o tema. Se quiser adicionar uma descrição, aproveite para utilizar as hashtags #RecadosContraoCâncer, #DiaMundialdoCâncer e #NósPodemosEuPosso

 


Webinar OPAS e ULACCAM


No dia 6 de fevereiro de 2018, das 13 às 15h (Horário de Brasília), a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), em colaboração com a União Latino-Americana Contra o Câncer na Mulher (ULACCAM) e apoio da FEMAMA, realizará o seminário online “Prevenção e Controle do Câncer da Mulher nas Américas”. O webinar é gratuito e aberto ao público mediante inscrições. Saiba como participar.


 


Mantenha-se informado!


A FEMAMA trará conteúdos sobre a campanha em seus perfis digitais. Acompanhe-nos, informe-se e participe compartilhando e interagindo com as mensagens. Utilize as hashtags #RecadosContraoCâncer, #DiaMundialdoCâncer e #NósPodemosEuPosso em suas publicações.

facebook.com/femamabrasil
twitter.com/femama_

Personalize os perfis de suas mídias sociais com capas para Facebook, Twitter e YouTube.


Confira também os canais oficiais da campanha (em inglês): worldcancerday.org e facebook.com/worldcancerday.

 

 

Ação Especial de Advocacy FEMAMA


Todo ano a FEMAMA propõe ações de advocacy para marcar o Dia Mundial do Câncer às ONGs que fazem parte de sua rede. Esse ano, a federação encaminhou às instituições locais ofícios para serem entregues às secretarias de saúde municipais e estaduais no dia 5 de fevereiro. O ofício questiona a respeito da disponibilização do medicamento Trastuzumabe no SUS para pacientes com câncer de mama metastático. O acesso ao tratamento foi aprovado pelo Ministério da Saúde [colocar hiperlink em “aprovado pelo Ministério da Saúde”: http://www.femama.org.br/novo/noticias-detalhe.php?menu=not&id=1008] para oferta no SUS a partir de 29 de janeiro. Os ofícios servirão para verificação sobre o cumprimento da norma.


A partir de 5 de fevereiro, acompanhe aqui as respostas fornecidas em cada estado participante da ação.


Além dessa iniciativa, a FEMAMA também organizou o envio de ofícios através de suas ONGs associadas a deputados estaduais, para agendar audiências públicas nas assembleias legislativas sobre a necessidade de realização de diagnóstico em 30 dias, de registro compulsório do câncer e de acesso a tratamentos adequados. As audiências devem ser agendadas em estados que já receberam debates sobre o câncer de mama anteriores nas assembleias, mobilizados pela FEMAMA e suas ONGs, a fim de avaliar o avanço nas políticas oncológicas obtidos com o passar do tempo.

 

 

Iluminação de Espaços Públicos

 

Esse ano pela primeira vez no Brasil, diversos monumentos, prédios e espaços públicos serão iluminados nas cores azul e laranja no dia 04 de fevereiro para marcar o Dia Mundial do Câncer.

Gostaria de participar? Escreva para contato@femama.org.br para articularmos a ação.

 

 

Cidades, Escolas e Empresas

 

A União Internacional de Controle do Câncer desenvolveu guias destinados a gestores de cidades, escolas e empresas para que pensem suas estratégias de enfrentamento do câncer, introduzam discussões e medidas importantes e contribuam para a redução do impacto da doença em suas comunidades. Baixe e utilize esses manuais para iniciar uma transformação local:



KIT DE FERRAMENTAS DAS CIDADES

KIT DE FERRAMENTAS PARA
ESCOLAS E BIBLIOTECAS

KIT DE FERRAMENTAS CORPORATIVO

 

Saiba mais sobre a Campanha

 

Quem pode fazer a sua parte?


                  

 

Como podemos agir?


A campanha trianual (2016-2018) do Dia Mundial do Câncer, “NÓS PODEMOS. EU POSSO.”, explora diversas opções para reduzir os fatores de risco do câncer, salvar vidas, alcançar mais igualdade no acesso aos cuidados oncológicose tornar a luta contra o câncer uma prioridade para as esferas políticas e as comunidades.


Inspire-se e engaje-se com as sugestões de ação abaixo. Elas dizem respeito a fatos que garantem que, independente de quem seja – um sobrevivente de câncer, um colega de trabalho, uma organização relacionada ao câncer, um cuidador, um amigo, um empregador ou um estudante – as informações possam apoiá-lo e capacitá-lo a agir.


Clique sobre cada ação para saber mais sobre ela e se aprofundar no tema.

 


O primeiro passo para trazer progresso para a questão do câncer é pressionar para que se realizem ações que aumentem as taxas de sobrevivência e ofereçam melhor qualidade de vida aos pacientes de câncer.

Trabalhando juntos em torno de metas comuns e usando nossas esferas de influência, podemos nos unir para estimular os governos a realizarem ações decisivas com relação ao câncer, alocando recursos adequados e incorporando o câncer e outras DCNTs a processos mais amplos de planejamento de desenvolvimento.

Podemos solicitar para que os governos intensifiquem seus esforços para combater o câncer, pressionando para que coloquem em prática ações que comprovadamente reduzem as mortes prematuras, melhoram a qualidade de vida e aumentam as taxas de sobrevivência ao câncer.


Mudanças no modo em que vivemos fazem com que cada vez mais pessoas em todo o mundo estejam expostas a fatores de risco do câncer, como tabagismo, dieta de baixa qualidade e estilos de vida sedentários. Educar e informar tanto os indivíduos quanto as comunidades sobre as relações entre estilo de vida e risco de câncer é o primeiro passo para uma prevenção efetiva da doença.

Ao fornecer conhecimento adequado e apropriado a indivíduos e comunidades sobre as relações entre estilo de vida e câncer, podemos capacitar as pessoas para que façam escolhas saudáveis. Precisamos divulgar que mais de um terço dos casos de câncer podem ser prevenidos com a adoção de hábitos saudáveis.


A forma como educamos nossos filhos e a próxima geração é vital para o futuro da prevenção e do tratamento do câncer. As escolas exercem um papel importante na prevenção do câncer. Devemos estimular uma cultura da saúde, oferecendo refeições nutritivas, desencorajando o hábito de fumar e dedicando tempo para a recreação e a prática de esportes, além de incluir o ensino da alimentação saudável e a educação física no currículo escolar.

As escolas devem criar ambientes saudáveis para proporcionar à próxima geração as ferramentas e os conhecimentos necessários para adotar estilos de vida saudáveis e reduzir o risco de câncer.


Muitos adultos passam muito do seu tempo trabalhando; portanto, os locais de trabalho são perfeitos para a prática de hábitos saudáveis. As empresas e organizações devem ser encorajadas a fazer dos estilos de vida saudáveis uma prioridade no local de trabalho e a proporcionar educação sobre as vantagens de uma dieta saudável e exercícios, os perigos de fumar e outros fatores de risco de câncer.

Os empregadores podem implementar medidas que irão motivar e manter hábitos saudáveis na rotina das pessoas.


Hoje, 54% da população mundial vive em áreas urbanas, e a estimativa é que essa taxa aumente para 66% até 2050. À medida que o mundo prossegue com a urbanização, os desafios do desenvolvimento sustentável estarão cada vez mais concentrados nas cidades. As cidades oferecem importantes oportunidades de ampliar o acesso a serviços de saúde para um grande número de pessoas, assim como formas de aderir a estilos de vida ativos e reduzir os fatores de risco do câncer.

Podemos defender a criação de ambientes saudáveis pelas prefeituras e a priorização da prevenção, do tratamento e de cuidados do câncer a um nível local.


Um terço dos sobreviventes de câncer capazes não voltará a trabalhar devido às dificuldades de readaptação após a doença. Os locais de trabalho podem proporcionar rotina, normalidade e renda aos sobreviventes, e os funcionários podem representar um apoio significativo para seus colegas na transição de volta ao trabalho. Os sobreviventes de câncer que voltam a trabalhar podem precisar de apoio na forma de horários adaptados, ajuda nos projetos ou simplesmente compreensão por parte dos gerentes.

Os locais de trabalho podem proporcionar um ambiente seguro e receptivo para os sobreviventes de câncer que voltam ao trabalho.


Em muitas culturas e sociedades, o câncer permanece como um assunto tabu. As pessoas que vivem com câncer frequentemente sofrem estigma e discriminação, o que pode impedi-las de admitir que têm câncer e de procurar cuidado e apoio. Mesmo em comunidades onde o câncer é discutido abertamente, às vezes, as pessoas afetadas pela doença podem ser discriminadas e se sentir isoladas dos amigos e colegas.

Governos, comunidades, escolas, empregadores e a mídia podem desafiar as percepções sobre o câncer e desfazer mitos e equívocos prejudiciais, de forma que todos tenham acesso a informações corretas, assim como a prevenção e cuidado de alta qualidade para o câncer.


Eliminar a falta de ao tratamento do câncer viáveis e de qualidade é imperativo para maximizar os resultados da qualidade de vida de todas as pessoas que vivem com a doença, incluindo crianças e adolescentes. Igualmente importante é abordar a viabilidade econômica do tratamento, para proteger indivíduos e famílias das dificuldades financeiras causadas pelas despesas pagas do próprio bolso.

Podemos lura por melhor acesso a serviços e ao tratamento do câncer ao longo do processo de cuidado do paciente. Todas as pessoas têm o direito de se beneficiar dessas intervenções de maneira igualitária, independentemente de onde vivem e sem sofrer dificuldades financeiras como consequência.


Leis e outras medidas regulatórias podem ser usadas para reduzir a exposição aos riscos de câncer, incluindo tabaco, álcool, alimentos pouco saudáveis e fatores ambientais. Políticas nacionais efetivas também podem melhorar o acesso a medicamentos essenciais contra o câncer, inclusive medicamentos para o alívio da dor, e oferecer tratamento de qualidade para o câncer .

Os pacientes, as famílias, os prestadores de cuidados de saúde e a sociedade civil precisam continuar pressionando os governos para que implementem políticas e programas em nível nacional que transformem esses compromissos em ações.

Uma defesa efetiva da mudança das políticas em todos os níveis – local, nacional e mundial – pode reduzir a exposição aos fatores de risco do câncer e melhorar o acesso e a disponibilidade de medicamentos contra o câncer e cuidados de qualidade para o câncer.


A capacitação inadequada dos profissionais da saúde é um dos obstáculos mais disseminados e urgentes à oferta de cuidados de qualidade para o câncer. É vital que se invista em desenvolvimento profissional continuado (DPC), para munir os trabalhadores da área da saúde com ferramentas e conhecimento apropriados para oferecer os melhores serviços ao longo do cuidado contínuo do câncer.

Os profissionais que tratam o câncer devem ser munidos das habilidades, do conhecimento e das competências exigidas para satisfazer às necessidades dos indivíduos e das comunidades ao longo de toda a cadeia de cuidado do câncer.


A argumentação econômica do investimento está se tornando uma peça essencial do quebra-cabeça para mudar a mentalidade a respeito do valor a se investir na prevenção e no controle do câncer.

Já existe um argumento convincente a favor do investimento na prevenção do câncer, em oposição a apenas lidar com as consequências.

Desenvolver a argumentação econômica para investimento em câncer pode mudar as mentalidades e permitir que os governos justifiquem a colocação do controle de câncer no centro dos seus planos de saúde nacionais.


O impacto mundial de câncer pode ser reduzido por meio de parcerias entre os governos, a sociedade civil e o setor privado, os quais contribuem com habilidades, competências e esferas de influência complementares para acelerar o progresso relacionado a objetivos e aspirações compartilhados. Combinar esforços, identificar e mobilizar redes é uma parte essencial das parcerias, e representa um valioso papel no compartilhamento de conhecimentos e experiências para gerar impacto e fazer a diferença.

Ao unir forças, as organizações da sociedade civil, os grupos de defesa dos pacientes de câncer e as outras partes interessadas podem impulsionar seus esforços de defesa de questões comuns ao criar uma voz unida para alcançar uma mudança positiva.

O trabalho em parceria para atingir soluções comprovadas para o câncer pode alcançar um impacto mundial ao reforçar o advocacy e produzir capacitação em torno de objetivos comuns.

    

Todas as pessoas podem tomar atitudes para reduzir o risco de câncer ao escolher opções saudáveis, que incluem parar de fumar, manter-se fisicamente ativo e consumir alimentos e bebidas saudáveis.

Reduzir a exposição à radiação ultravioleta (UV) do sol e de outras fontes, como solários, também reduz enormemente o risco de muitos cânceres de pele.

Todas as pessoas podem escolher um estilo de vida saudável para reduzir o risco de câncer.


O diagnóstico do câncer nem sempre é fácil – nem todos os cânceres apresentam sinais e sintomas precoces, e outros sinais de alerta podem aparecer bem tarde quando o câncer já está avançado. Contudo, demonstrou-se que o aumento da conscientização sobre sinais e sintomas e sobre a importância do tratamento oportuno melhora a sobrevivência ao câncer. Isso ocorre porque a descoberta precoce do câncer quase sempre facilita o tratamento ou mesmo a cura.

Profissionais de saúde e indivíduos podem ser informados sobre o valor da detecção precoce e sobre a importância de procurar cuidados para melhorar a sobrevivência ao câncer.


Embora o retorno ao trabalho após o tratamento do câncer possa ser desafiador para muitas pessoas, conseguir realizar uma transição suave de retorno ao local de trabalho pode ser uma conquista significativa tanto do ponto de vista pessoal quanto prático. Um emprego pode restaurar normalidade, rotina, estabilidade, contato social e renda.

Também é importante que as pessoas com câncer que querem retornar ao trabalho entendam seus direitos.

Com o apoio certo, as pessoas que vivem com câncer podem retornar ao trabalho de maneira bem-sucedida.


Os pacientes de câncer e suas famílias devem ser capacitados para ter um grau de controle maior sobre as escolhas que influenciam sua saúde e seu bem-estar e para preservar sua dignidade em todos os estágios ao longo da jornada contra o câncer.

Ao mesmo tempo, os efeitos físicos associados a alguns tratamentos de câncer, como perda de cabelo, ganho de peso e outras alterações na imagem corporal, podem diminuir a qualidade de vida de uma pessoa e também resultar em estigma e discriminação. Para alguns pacientes de câncer, lidar com a aparência física e buscar pequenas alterações na imagem corporal pode ser uma maneira de reassumir o controle e preservar um grau de normalidade.

As pessoas que vivem com câncer podem assumir o controle de sua jornada com o câncer ao serem capacitadas para participarem ativamente das decisões sobre seu cuidado, tendo suas escolhas respeitadas e suas necessidades satisfeitas.


O apoio de amigos, famílias, empregadores e colegas pode ajudar uma pessoa que vive com câncer a se ajustar melhor às mudanças que o câncer traz, e também ajudar a melhorar a sua qualidade de vida. Para algumas pessoas, o apoio pode ser necessário por muitos anos depois do diagnóstico inicial, já que continuam convivendo com os impactos físicos e emocionais do câncer mesmo quando o tratamento já terminou.

Para muitos, uma das consequências mais duradouras e devastadoras de um diagnóstico de câncer é o efeito na saúde sexual e no bem-estar; profissionais de saúde e serviços de apoio ao câncer podem ajudar esses pacientes a melhorar sua qualidade de vida e a de seus parceiros. Alterações na intimidade emocional também podem ser amenizadas com conversas abertas e honestas entre os parceiros.

Dar esperança e apoio aos que vivem com câncer pode fazer uma grande diferença nas vidas dessas pessoas.


Manter redes sociais de apoio e falar sobre o câncer podem ser estratégias fundamentais para lidar com os impactos sociais e emocionais do câncer, tanto no curto quanto no longo prazo. Isso é verdade para a pessoa que vive com a doença e para suas redes de apoio. O apoio pode vir de muitas fontes – companheiros, amigos, família, colegas, profissionais de saúde e conselheiros – com algumas pessoas optando por participar de grupos de autoajuda ou apoio.

As pessoas que vivem com câncer e seus cuidadores podem solicitar apoio para ajudá-los a lidar com a doença.


Os sobreviventes de câncer podem dar esperança àqueles recentemente diagnosticados com câncer. Ao compartilhar suas experiências, as pessoas que vivem com a doença podem exercer um papel importante ao ampliar o conhecimento sobre a prevenção do câncer e a importância da detecção precoce. Elas também podem dar esperança e apoio a outros afetados pela doença e reduzir o medo em torno dos desafios de voltar à vida diária depois do câncer.

A participação dos pacientes de câncer e de suas famílias na tomada de decisões sobre políticas e programas voltados ao câncer pode promover uma abordagem holística dos cuidados do câncer. Os indivíduos podem participar do diálogo através do engajamento em campanhas públicas, comunicando-se com os responsáveis pela tomada de decisões e unindo-se a grupos de apoio para assegurar que a perspectiva do paciente seja ouvida. Dessa forma, os pacientes de câncer e suas famílias podem inspirar mudança, ajudando a definir as questões que importam e defendendo medidas para lidar com essas questões.

Ao fazer com que sua voz seja ouvida e participar do diálogo sobre o câncer, os indivíduos podem ser agentes poderosos de influência, mudança e esperança para todas as pessoas afetadas pela doença.

 


Infográfico


Conheça dados sobre o impacto do câncer no mundo:


 

Mapa de Impacto

 

Eventos que contribuem com o objetivo de reduzir o impacto do câncer acontecem no mundo inteiro. O site oficial do Dia Mundial do Câncer reúne em um mapa interativo eventos com a finalidade de promover conscientização sobre a doença, reivindicar políticas públicas eficientes, lançar pesquisas, estudos, debates, etc., mesmo aqueles que não ocorrem exatamente no dia 4 de fevereiro.

 

O mapa é uma oportunidade para mostrar um pouco do trabalho que está sendo feito para combater o avanço do câncer globalmente. Se você está organizando um evento, insira-o no mapa. Se você quer saber o que está acontecendo ao redor do mundo e perto de você, confira em worldcancerday.org/events-map

 

 

 

Por trás dessa campanha

 

O Dia Mundial do Câncer é uma iniciativa do UICC (União Internacional de Controle do Câncer), organização não-governamental internacional da qual a Femama é integrante. Sua missão é ajudar a comunidade mundial de saúde a acelerar a luta contra o câncer, procurando reduzir o impacto da doença no mundo, promover maior equidade e inserir o controle do câncer na agenda mundial de saúde e desenvolvimento.

 

A FEMAMA (Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama) junta-se à campanha no Brasil, convidando suas ONGs associadas e a sociedade em geral a participarem também. Somos uma associação civil, sem fins econômicos, que busca reduzir os índices de mortalidade por câncer de mama no país. Estamos presente na maioria dos estados brasileiros por meio de instituições associadas, atuando na luta por políticas públicas que garantam maior acesso e qualidade no diagnóstico e tratamento do câncer de mama para a população.

 

Conheça algumas instituições envolvidas com o Dia Mundial do Câncer 2018 junto com a FEMAMA:

           
           

 

Imprensa

 

Para informações e agendamento de entrevistas, entre em contato com Karina Moraes:

Fone: (11) 3875 6296
karinamorais@rspress.com.br

 

 

Saiba como foram as ações da Femama no Dia Mundial do Câncer nos anos anteriores: 2017, 2016, 2015, 2014, 2013