Associadas | Câncer de mama
- - -
Home > Notícias > Senadora Ana Amélia Lemos ressalta importância das leis que beneficiam pacientes de câncer de mama

 

Senadora Ana Amélia Lemos ressalta importância das leis que beneficiam pacientes de câncer de mama

 

Ana Amlia Lemos

Ana Amélia Lemos

25/09/2013

Em discurso na tribuna do Senado proferido em 24 de setembro, a senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS) tratou do início, na próxima semana, das atividades do Outubro Rosa, movimento internacional que ocorre anualmente no referido mês de outubro e é marcado por ações de conscientização a respeito da saúde da mama. A parlamentar mostrou-se bastante satisfeita com a aprovação de lei 12.802/2013, de sua autoria, que obriga o Sistema Único de Saúde (SUS) a proceder à reconstituição mamária após realizada mastectomia em cirurgia de tratamento da doença, quando não houver contraindicações.

Ana Amélia pediu aos colegas presentes que ''abraçassem'' a causa do Outubro Rosa, destacando o papel da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama) que, através da sua presidente voluntária, a médica mastologista Dra. Maira Caleffi, trouxe o movimento para o Brasil em 2008. Ao longo destes cinco anos, a Femama iluminou de cor-de-rosa prédios e monumentos históricos em diversas cidades do Brasil a fim de sensibilizar para questões referentes à saúde da mama, além de realizar diversas ações de mobilização. A senadora também lembrou que o Rio Grande do Sul é o estado de maior incidência de câncer de mama no país, bem como o de maior índice de mortalidade pela doença. Na opinião de Ana Amélia, é importante que se aprovem leis como a 12.732/12, que estabelece em 60 dias o prazo máximo para início do tratamento da doença após o seu diagnóstico, a PLS 3595/2012, que consiste na tentativa de acesso às políticas de detecção e tratamento de câncer de mama a mulheres portadoras de deficiências e o projeto  de lei 352/2011, também de autoria da senadora gaúcha, que obriga os planos de saúde a custearem o tratamento de câncer à base de quimioterapia oral. Este último já foi aprovado pela Câmara dos Deputados e em breve, retorna ao Senado.

Conforme dados da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), cerca de 450 mil mulheres morreram no Brasil vítimas de câncer de mama. Já a estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca) para 2013 é de novos 50 mil casos deste tumor.


Compartilhe:

Mais notícias