Resultados Pesquisa Femama

A FEMAMA realizou um levantamento na internet no período de 29/03 a 27/04/2017 para compreender a percepção de pacientes com câncer de mama metastático sobre o impacto do tratamento da doença em suas vidas e seu posicionamento sobre a incorporação do Pertuzumabe associado à Trastuzumabe e Docetaxel no Sistema Único de Saúde. O relatório foi submetido à CONITEC representando a voz de pacientes. Confira abaixo as principais conclusões do levantamento.

 

116 pacientes com câncer de mama demostram interesse em responder ao questionário, sendo que destas 64 estão no estágio metastático da doença, 47 possuem o subtipo HER2 positivo e 10 utilizam a combinação terapêutica Pertuzumabe, Trastuzumabe e quimioterapia como tratamento da doença. Todas as 116 mulheres concordaram que suas respostas fossem utilizadas em contribuição à Consulta Publica da Conitec número 13, denominada Pertuzumabe para o tratamento do câncer de mama HER2-positivo metastático em primeira linha de tratamento associado ao Trastuzumabe e Docetaxel.

Conclusões

Ficam claros os impactos da doença e efeitos colaterais do tratamento na vida das pacientes, com destaque para alto grau de impacto em relação à vida no trabalho (71,9%), vida sexual (73,3%), autoestima (65,6%, fadiga (79,7%), problemas intestinais (75%) e sangramento (79,7%).

Das 47 pacientes com câncer de mama HER2 positivo, apenas 59,6% receberam indicação de tratamento a combinação Pertuzumabe, trastuzumabe e quimioterapia, enquanto essa é a tecnologia mais avançada para o tratamento da doença podendo oferecer às pacientes uma sobrevida global aproximada de 56 meses. Ainda, 57,5% das pacientes com câncer de mama HER2 positivo recebem apenas quimioterapia (36,2%) ou não recebe qualquer tratamento (21,3%). As pacientes tratadas apenas com quimioterapia tem uma sobrevida global média aproximada de 20 meses, ou seja, 36 meses a menos do que as pacientes que a terapia combinada mencionada.

A maioria das pacientes que utilizam a terapia combinada percebe o prolongamento da vida (90%), diminuição do tumor (70%), melhor prognóstico geral (60%) e melhora na qualidade de vida (60%). Essas pacientes não deixam de perceber os efeitos colaterais desse tratamento (70%), no entanto 100% delas estão dispostas a enfrentar esses efeitos.

Por fim, a grande maioria (99,1%) das pacientes com câncer de mama acredita que o Pertuzumabe associado à Trastuzumabe e Docetaxel deve ser incorporado ao SUS.

 

O relatório completo e seus anexos podem ser consultados no botão abaixo.

Veja o relatório completo

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 1 =