Dia de Combate ao Fumo - cigarro x câncer de mama

29.08.2011

A cada tragada em um cigarro, aproximadamente, 4.700 substâncias tóxicas são inaladas, podendo causar cerca de 50 doenças diferentes, incluindo diversos tipos de câncer. Em 2011, foram diagnosticados 63.753 casos de câncer causados pelo fumo no Brasil. Entre eles, o câncer de pulmão, o tipo que mais mata homens brasileiros - cerca de 90% das ocorrências está associada ao cigarro. O câncer de mama também está nesta lista, uma vez que o tabagismo pode aumentar em até 60% as chances do fumante desenvolver a doença, conforme um estudo da Sociedade Americana de Câncer. 

De acordo com o Dr. Ricardo Caponero, oncologista, presidente do Conselho Técnico Científico da FEMAMA, a associação do fumo ao câncer de mama ocorre porque muitas substâncias cancerígenas presentes no cigarro são absorvidas pelo organismo e possuem efeito sistêmico. Ou seja, embora o efeito seja maior nas vias respiratórias, pulmões e trato urinário, o efeito nocivo do cigarro atinge todo o organismo.

Mulheres fumantes em tratamento do câncer de mama, mesmo que apresentem chances reais de cura, não excluem a possibilidade de reaparecimento da doença, uma vez que o tabagismo mantém a predisposição para o desenvolvimento de novos tumores primários. Quanto ao tratamento em si, até onde se sabe, o tabagismo não afeta a eficácia dos medicamentos. Porém, pode ocasionar mais efeitos colaterais, principalmente, os cardiovasculares.

A quem deseja parar de fumar, a indicação médica é que se procure ajuda especializada, principalmente o acompanhamento psicoterapêutico.