09.07.2019

Como enfrentar o câncer: 5 hábitos que pacientes de câncer de mama empoderados têm

Os dias em que os pacientes não possuíam informações para dialogarem com os médicos se foram. Atualmente, inúmeros conteúdos sobre como enfrentar o câncer são publicados diariamente na internet em locais confiáveis com o intuito de democratizar a informação sobre a neoplasia maligna da mama. O conhecimento é essencial para quem busca o melhor tratamento, e na rede é possível encontrar diversos conteúdos que podem ajudar, mas é claro que é necessário priorizar as orientações passadas pelos médicos, pois eles que são especialistas na doença.

Então, se você é um paciente que está enfrentando o carcinoma de mama e está buscando as melhores formas de lidar com o diagnóstico e tratamento, confira algumas dicas para não se perder durante a coleta de informações. Além disso, inspire-se nas nossas dicas para facilitar o seu protagonismo durante a jornada e recuperar a sensação de autoconfiança e autonomia.

Como buscar informações sobre câncer de mama

É importante salientar que as buscas de informações sobre saúde devem ser feitas de forma responsável. Para tanto, é preciso atentar para a credibilidade das fontes. Ou seja, verificar de qual organização é proveniente aquele site ou blog onde o artigo foi publicado.

Verifique sempre onde o artigo foi disponibilizado e quem (pessoa ou instituição) é autor do blog. Se for uma matéria de cunho jornalístico , certifique-se sobre a qualidade do veículo responsável pela elaboração das informações.

Conheça a FEMAMA e seus conteúdos de referência em câncer de mama.

Outro ponto que é importante destacar é que a internet por si só não traz o conhecimento necessário para que o paciente com câncer de mama possa se diagnosticar sozinho. O médico tem um papel fundamental durante todos os estágios do tratamento e sua opinião profissional deve ser respeitada e priorizada. (Neste artigo trataremos como o paciente, pois existe o câncer de mama masculino, representando cerca de 1% do total de casos da doença segundo o INCA - Instituto Nacional de Câncer). Confira estatísticas do câncer de mama.

Mas é claro que o conhecimento à disposição de todos auxilia no estabelecimento do diálogo com o médico e na busca pela melhor estratégia de tratamento. Por exemplo, ao ter acesso a um conteúdo como os oferecidos no blog da FEMAMA, o paciente pode encontrar uma gama de informações, para ter esclarecimentos sobre seu diagnóstico, tratamento e todas as etapas da jornada contra o câncer.

Com o auxílio de um bom embasamento o paciente tem a possibilidade de compreender melhor todas as possibilidades ao seu redor, além de poder se sentir mais seguro quanto à assertividade daquele que foi escolhido pelo médico.

Estratégias de como enfrentar o câncer

Na área da saúde é possível levar em consideração alguns pontos-chave que são fundamentais para qualquer tratamento, mas que quando se fala sobre como enfrentar o câncer, torna-se imprescindível. Entre os fatores estão o conhecimento sobre sua condição, a busca pelos seus direitos, a formação de uma rede de apoio para si e para os outros, e o comprometimento com a alimentação e com o corpo como um todo.

Com o avanço tecnológico, o consumidor de informações, ou seja, qualquer um com um interesse específico, busca o chamado “valor real”. Esse valor representa aquilo que é fundamental para, no caso do paciente com câncer de mama, sua jornada contra o câncer e qualidade de vida.

Para encontrar o tal valor real, o paciente pesquisa as informações e faz comparativos. De modo mais próximo ao dia a dia, essa ação ocorre da mesma forma de quando estamos à procura de determinado equipamento eletrônico que queremos comprar: analisamos o custo-benefício, pesando os riscos e as qualidades.

É claro que, de tanto pesquisar (nos lugares certos), os pacientes com câncer se encontram numa posição ativa de enfrentamento do câncer. Por isso, conseguem tomar decisões ponderadas e embasadas, encontrando o conhecimento e o protagonismo da luta contra sua doença.

Confira como você pode, gradualmente, empoderar-se e se já está no caminho certo:

1 - Vá à fundo no conhecimento sobre sua condição

Como dito acima, pacientes com câncer de mama envolvidos na sua doença, de modo positivo, buscam encontrar o melhor para o seu tratamento. Para isso, compilam informações e acompanham conteúdos de sites especializados, como a própria FEMAMA. Além disso, formam uma parceria com os seu médico por meio do diálogo e no esclarecimento de dúvidas, explorando todas as suas opções.

Cada paciente enfrenta seus próprios desafios na luta contra a doença, então qualquer questionamento e insegurança são válidos. Durante a consulta, procure saber o máximo sobre sua condição e quais medidas pode tomar para ter uma melhor qualidade de vida. Exemplos de conhecimentos úteis são indagar sobre o tipo do seu câncer, se ele é hereditário e qual é seu esquema de tratamento.

2 - Exija seus direitos

Conheça seus direitos como paciente em tratamento ao acessar plataformas como a FEMAMA e lute para que eles sejam cumpridos. Por exemplo, você sabia que após o diagnóstico pelo SUS, o Sistema tem até 60 dias para iniciar o seu tratamento? A Lei nº 12.732 de 23/11/2012 contempla quase todos os tipos de câncer, exceto o câncer não melanótico de pele dos tipos basocelular e espinocelular e o câncer de tireoide sem fatores clínicos pré-operatórios prognósticos de alto risco. Saiba mais sobre a lei dos 60 dias aqui.

Outros direitos são a reconstrução mamária imediata depois de realizada a mastectomia; auxílio-doença caso fique incapacitado de trabalhar; aposentadoria por invalidez, se houver cessado a capacidade de trabalhar; entre outros. Confira todos seus direitos no site da FEMAMA.

Se houver algum problema ou atraso, o paciente pode reivindicar seus direitos entrando em contato com a secretaria municipal de saúde, órgão responsável pela elaboração da política de saúde adotada em cada cidade. Também é possível prestar a queixa por meio da Ouvidoria-Geral do SUS via formulário web ou pelo número 136. Saiba tudo sobre o tratamento pelo SUS e os passos para exigir seus direitos

3 - Procure apoio

Nesse momento de certa fragilidade busque por ONGs que atuam oferecendo serviços gratuitos como troca de experiências, auxílio no acesso a exames e tratamentos, além de empréstimo de próteses e perucas, apoio em psicologia, nutrição, fisioterapia, advocacia, entre outros. Nesse link você encontra as ONGs associadas à FEMAMA mais próximas.

Conte também com o suporte de amigos e familiares. Use-os como uma rede de apoio para suas dificuldades e peça ajuda quando precisar. Todos nós precisamos de outras pessoas para sermos e nos sentirmos mais fortes. Estabeleça um diálogo com eles, e encontre paz de espírito na compreensão.

4 - Pratique a qualidade de vida

O paciente empoderado está sempre atento aos sinais do seu corpo, cuidando da sua alimentação durante e após o tratamento do câncer, que precisa ser seguida para que a doença regrida, ou ainda, para que aconteça a remissão do câncer. Outro ponto importante é medir a pressão e os batimentos cardíacos periodicamente, já que a maioria dos tratamentos contra o câncer eleva a pressão arterial.

As atividades físicas também auxiliam muito no tratamento, pois ajudam o paciente a ter mais resistência e disposição na medida em que fortalecem a musculatura e em que a endorfina é liberada. Também conhecida como hormônio do bem-estar, a endorfina melhora o sistema nervoso, eleva a autoestima, diminui a ansiedade, reduz os sintomas que levam à depressão e auxilia no controle do apetite. É possível adaptar os exercícios como for melhor para a rotina e saúde das mulheres e homens com câncer, sendo possível optar por caminhadas, fisioterapia, pilates, dança e yoga, por exemplo.

Portanto, se tiver condições, procure um exercício que te traga prazer e monitore-se para ficar a par das mudanças no seu organismo. 

5 - Engaje-se

Quando chegar a esse ponto, você já está apto a encorajar outras pessoas a enfrentar ativamente o diagnóstico e o tratamento do câncer. Compartilhe seus conhecimentos com outros pacientes, seja por meio de rodas de conversa, pessoalmente de maneira privada ou compartilhando os conteúdos da FEMAMA nas suas mídias sociais. Você também pode imprimir os materiais da campanha e colar em lugares estratégicos, ou deixar em estabelecimentos comerciais para espalhar o conhecimento. Você ainda pode se tornar voluntário da rede de ONGs da FEMAMA e deixar a experiência ainda mais enriquecedora, pois há diversas formas de contribuir para a causa e lutar por mais direitos para pacientes com câncer.

Agora que você já sabe como se tornar ainda mais confiante sobre suas ações durante o tratamento, não deixe de colocá-las em prática!

  • Foto: iStock