10.01.2019

Como preservar a fertilidade no tratamento de câncer?

Todo paciente que vai fazer um tratamento de câncer e ainda está em idade reprodutiva deve ser alertado da possibilidade de perder a fertilidade e saber as opções disponíveis para preservá-la. Alguns tratamentos podem destruir óvulos e espermatozoides. O programa Bem Estar conversou sobre o assunto com o oncologista Fernando Maluf e a ginecologista Ana Lucia Beltrame.

Todo tratamento de câncer pode prejudicar a fertilidade da mulher. Depende da medicação, da dose que foi utilizada e da idade da mulher. Já no homem, a fertilidade não é tão afetada. Entretanto, ele também deve ser alertado da possível perda de fertilidade.

Quando engravidar?

Segundo o oncologista Fernando Maluf, o ideal seria engravidar depois de cinco anos do término do tratamento de câncer. Contudo, a decisão precisa ser discutida caso a caso. A indicação é esperar, no mínimo, um ano após o tratamento para evitar o risco de prematuridade.

Como preservar a fertilidade da mulher?

  • Congelamento de óvulos;
  • Congelamento dos embriões;
  • Congelamento do tecido ovariano (tratamento experimental).

A psicóloga Carla Alves Loto Crepaldi optou pelo congelamento de óvulos. Aos três anos de casamento, ela e o marido decidiram tentar engravidar, mas descobriram um câncer de mama. Uma médica amiga da família alertou que o tratamento do câncer poderia comprometer a fertilidade. Então, antes de iniciar a quimioterapia, Carla fez um procedimento de preservação dos óvulos.

“A gente não teve dúvidas [na hora de congelar os óvulos]”, conta a psicóloga. A coleta foi feita em São Paulo e o tratamento durou de 12 a 15 dias. Com os óvulos garantidos, Carla começou o tratar o câncer – quimioterapia, retirada de mama e radioterapia.

A doença está controlada, mas o casal ainda precisa esperar o fim do tratamento para tentar a gravidez – por via natural ou, se precisar, utilizando os óvulos congelados.

Como preservar a fertilidade do homem?

A forma mais comum é através do congelamento do sêmen coletado por masturbação, antes da quimioterapia ou radioterapia.

 

Com informações de G1 Bem Estar, 08/01/2019

  • Foto: Freepik