Neste Dia Nacional da Mamogria a Femama - Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama - enviará ofício ao Ministério da Saúde para saber como anda o Programa Nacional de Qualidade em Mamografia (PNQM). O Programa visa instituir uma série de ações voltadas para a qualidade dos equipamentos e profissionais envolvidos no exame fundamental para o diagnóstico precoce do câncer de mama. De acordo com o relatório do TCU ? Tribunal de Contas da União - de 2010, metade dos quase 2 mil mamógrafos da rede pública do País estava quebrada, subutilizada,  ou em péssimo estado.

Além disso, a Femama lança campanha nas redes sociais feita em parceria com a G2, alertando para a importancia da regularidade do exame de mamografia, Se Não Fizer Por Você, Faça Por Mim, com o objetivo de sensibilizar a população feminina.

Segundo a Dra. Vera Aguillar, radiologista do Hospital Sirio Libanês e integrante do Conselho Técnico Científico da Femama,   a mamografia anual de rotina tem sido um dos fatores mais importantes na redução dos índices de mortalidade pela doença e deve ser realizada, a partir dos 40 anos, sem limite de idade para terminar, desde que a mulher esteja em boas condições clinicas. ?O exame é realizado com doses muito pequenas de radiação devido aos melhoramentos técnicos do aparelho nos últimos anos?, complementa Dra. Vera.

A Dra. Luciane Poletto, médica mastologista do Núcleo de Mama do Hospital Moinhos de Vento (RS) e voluntária da FEMAMA, reforça a importância do diagnóstico precoce: ?A mamografria de rastreamento anual é fundamental pois o  ideal é que a doença seja detectada antes da pessoa sentir o nódulo pela apalpação. Desta forma, ela terá maior chance de cura? afirma a Dra. Luciane Poletto,

Segundo o INCA ? Instituto Nacional do Câncer ? o câncer de mama responde por 22% dos casos novos de câncer a cada ano. De acordo com a Lei 11.664/2008, toda mulher tem o direito de fazer mamografia anualmente.