No dia 18 de agosto de 2011, representantes da diretoria da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama) participaram da assinatura da Declaração Brasileira para a prevenção e controle das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT), que reuniu integrantes da sociedade civil organizada e do Governo Federal, como o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. O documento resulta de uma ação do Fórum Nacional de Apresentação do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das DCNT no Brasil, que acontece até amanhã, em Brasília. O evento está sendo realizado no Hotel Nacional e foi aberto com o pronunciamento do ministro Padilha.

O Plano de Ações para Enfrentamento das DCNT, construído em parceria com diferentes setores do governo e da sociedade civil, prevê um conjunto de medidas para reduzir em 2% ao ano a taxa de mortalidade prematura por enfermidades como câncer, diabetes e doenças cardiovasculares como infarto e acidente vascular cerebral (AVC). O Plano, que reúne ações para os próximos dez anos, é a resposta brasileira a uma preocupação mundial: estima-se que 63% das mortes no mundo, em 2008, tenham ocorrido por DCNT; um terço delas em pessoas com menos de 60 anos de idade. A Organização das Nações Unidas (ONU) ta,bem vai abordar o tema na próxima Assembleia Geral de alto nível, que ocorrerá em Nova York (EUA), em setembro. Na ocasião, serão estabelecidos compromissos e prioridades mundiais. Esta será a terceira vez que um tema da Saúde entra na pauta da reunião de alto nível da ONU, os temas anteriores foram Poliomielite e Aids.