04.05.2018

FEMAMA vence edital para dar continuidade ao projeto Ciclo de Debates

UICC e Pfizer concederam financiamento adicional a quatro beneficiários do edital SPARC de 2015-2017 para levar os projetos ao próximo nível


A FEMAMA, o Instituto Oncoguia, o Hospital Universitário da Universidade da Nigéria, e a Fundación Cima, do México, receberão US$ 5 mil cada para continuar atendendo às necessidades de pacientes com câncer de mama metastático em seus países. A União Internacional de Controle do Câncer (UICC) e a Pfizer anunciaram nesta quinta-feira (03/04) os quatro projetos selecionados para receber a verba adicional para os projetos contemplados pelo edital The Seeding Progress and Resources for the Cancer Community (SPARC) Metastatic Breast Cancer Challenge de 2015. São eles:

- “Ciclo de Debates sobre Câncer de Mama para Parlamentares”, da FEMAMA (Brasil);
- “Vivendo com câncer de mama metastático”, do Instituto Oncoguia (Brasil);
- “UNTH – Grupo de Apoio ao Câncer de Mama”, do Hospital Universitário da Universidade da Nigéria (Nigéria);
- “Criando espaços para mulheres com auditoria de experiência de usuário de câncer de mama metastático”, da Associação Mexicana com o Câncer (Fundação Cima, México).

Esses projetos foram selecionados por um painel de especialistas com base na excelência e visam melhorar a qualidade de vida dos pacientes com câncer de mama metastático em seus próprios ambientes através do desenvolvimento de um sistema de navegação para pacientes na Nigéria, realizando uma campanha de advocacy para legisladores no Brasil, conduzindo um estudo sobre as necessidades dos pacientes também no Brasil e fortalecendo os cuidados de pacientes através de uma plataforma online no México.

Os quatro premiados poderão continuar seus projetos em paralelo às 20 organizações de 19 países que receberam a gratificação SPARC na edição de em 2017-2019. O edital SPARC é uma iniciativa inédita voltada para capacitar grupos de advocacy, redes hospitalares, grupos de apoio e outras organizações em todo o mundo ao iniciar projetos para fechar a lacuna na informação, apoio, conscientização e políticas entre o câncer de mama metastático e o câncer de mama precoce, além de ajudar a reduzir o número de mulheres diagnosticadas no estágio metastático do câncer de mama.

  • Fonte: UICC/Reprodução