Na próxima sexta-feira (21/12), o Ministério da Saúde, realiza, a partir das 09h30, no Auditório Emílio Ribas, na sede do ministério, em Brasília (DF), uma audiência pública para a futura aquisição do trastuzumabe 150mg para o Sistema Único de Saúde (SUS). No evento, será discutido e definido os termos do edital de compra do medicamento, que deve ser publicado 15 dias após a realização da audiência.

O trastuzumabe mudou a forma como o câncer de mama é tratado no mundo e figura na Lista Modelo de Medicamentos Essenciais para combater o câncer criada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), usada para orientar governos na decisão de oferta de medicamentos para a população. Esse medicamento já é ofertado desde 2012 na rede pública de saúde, mas apenas para pacientes com câncer de mama inicial e localmente avançado. Pacientes que apresentavam metástases não tinham acesso ao tratamento gratuito no SUS, apesar de terem indicação para uso com resultados expressivos.

Em 2017, a FEMAMA lançou a campanha #PacientesNoControle, em que convocava a sociedade civil para opinar em duas consultas públicas abertas pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC) para a incorporação de dois medicamentos para câncer de mama metastático no SUS: trastuzumabe e pertuzumabe.

A FEMAMA acompanhou de perto todo o processo de incorporação dos dois medicamentos que acabaram sendo inclusos no SUS. A FEMAMA e sua rede trabalharam muito nos últimos anos para que pacientes com câncer de mama metastático passassem a ter acesso a esses medicamentos.