06.01.2020

O tempo importa: campanha da Merck estimula doação de tempo para cuidadores não profissionais

O Embracing Carers, programa global que conta com a participação de diversas organizações ao redor do mundo, acaba de lançar a campanha ‘O Tempo Importa’. O objetivo dessa iniciativa é incentivar pessoas que convivem com cuidadores não profissionais a doarem seu tempo para ajudá-los. Os cuidadores informais ou não profissionais são amigos e parentes que se dedicam, sem qualquer remuneração, a cuidar de um paciente. A FEMAMA apoia a campanha.

De acordo com um estudo da Censuswide, encomendado pela Merck, 46% dos cuidadores não profissionais brasileiros afirmam que muitas vezes não têm tempo para agendar ou comparecer às suas próprias consultas médicas.

Pensando nisso, o Embracing Carers lançou a iniciativa ‘O Tempo Importa’, que tem o objetivo de conscientizar e promover discussões e ações em torno das necessidades dos cuidadores que muitas vezes são esquecidas. Não há limite para a quantidade de tempo que pode ser doado, porque o tempo realmente importa.

“Não há melhor maneira de ajudar o outro que a doação do seu próprio tempo. Com a campanha ‘O Tempo Importa’, do programa Embracing Carers, a Merck pretende valorizar o papel do cuidador. Afinal, tempo livre não é algo comum entre cuidadores não profissionais. Eles, invariavelmente, colocam a vida de quem está sob seus cuidados em primeiro lugar, enquanto suas próprias necessidades como saúde, finanças, descanso e bem-estar, ficam para depois.”, afirma Luiz Magno, Diretor Médico da Merck.

Cinco minutos podem fazer a diferença na vida de um cuidador não profissional e aqui vão algumas sugestões sobre como ajudá-los:

  • A doação de cinco minutos pode ser mandar um e-mail ou mensagem para que essa pessoa saiba que está sendo lembrada e pode pedir ajuda, se precisar.
  • Uma doação de 15 minutos pode ser uma ligação para ter certeza se o cuidador está bem ou se precisa de ajuda em algum compromisso.
  • Uma doação de 30 minutos dá tempo ao cuidador para responder suas mensagens/e-mails ou ligações
  • Uma doação de 60 minutos pode ser encontrar um cuidador para um café ou até mesmo preparar uma refeição para ele/ela.
  • Uma doação de 120 minutos pode ser você ficar no lugar do cuidador para que ele possa fazer as compras do mês no supermercado, caminhar ou ir na academia para exercitar-se tanto em termos físicos como mentais.
  • Uma doação de 12 horas permite que o cuidador tenha tempo para realizar algumas tarefas, como limpar a casa.
  • Uma doação de um dia dá tempo para o cuidador tirar um merecido sono, uma pausa, ou um tempo para cuidados especiais.

‘O Tempo Importa’ – saiba como fazer parte

Doe seu tempo para um cuidador não profissional e pergunte a ele como você pode ajudá-lo em suas atividades diárias. Faça parte desse movimento visitando o site www.embracingcarers.com para registrar o seu tempo doado. Um contador irá contabilizar o total de minutos doados e esse número total ajudará na conscientização sobre a importância dessa ação tão simples. Além do tempo doado, os visitantes poderão compartilhar suas experiências pessoais. Outros recursos que poderão ser compartilhados com um cuidador também estão disponíveis no site.

Se alguém quiser ajudar, mas não conhece nenhum cuidador, pode ajudar a espalhar a mensagem ao compartilhar nossos conteúdos nas redes sociais utilizando a #EmbracingCarers em seus posts para alcançar pessoas em sua rede que possam ser cuidadores.

“Por conta da natureza dessa ocupação, o tempo de um cuidador não profissional não lhe pertence. A contribuição dos cuidadores para a sociedade e para as pessoas das quais são responsáveis deve ser reconhecida e celebrada em todas as oportunidades. É somente por meio dessa conscientização consistente que podemos ajudar na construção de um consenso sobre as muitas questões que envolvem esse tema e sobre o apoio que os cuidadores não profissionais precisam”, comenta Luiz Magno.

Para mais informações sobre o programa Embracing Carers e sobre a campanha ‘O Tempo Importa’, acesse www.embracingcarers.com.

Pesquisa Embracing Carers no Brasil

Para mapear o cenário local e investigar desafios e necessidades ainda não atendidas no Brasil, a Merck realizou uma pesquisa com cuidadores não profissionais, em 2018. Apesar do clima de satisfação entre os entrevistados (fato que reforça um ótimo ambiente para o desenvolvimento do programa, uma vez que 68% afirmam que cuidar de uma pessoa amada ajuda a apreciar mais a vida e 57% dizem que ser um cuidador não profissional é recompensador, ainda que desafiador) há ainda muito a se fazer para promover melhorias em sua saúde e bem-estar.

Os resultados mostram que 46% dos cuidadores não profissionais entrevistados afirmam que muitas vezes não têm tempo para agendar ou comparecer às suas próprias consultas médicas. Dois em cada cinco cuidadores não profissionais (44%) dizem colocar a saúde da pessoa de quem estão zelando acima da deles. 53% dos entrevistados relatam sentir-se cansados a maior parte do tempo e 61% afirmam precisar de cuidados médicos por conta de sua saúde mental.

Realizada pela Censuswide no Brasil, a pesquisa sobre os cuidadores informais/não profissionais foi feita entre julho e agosto de 2018, a partir de uma amostra online com total de 578 entrevistados na faixa etária de 18 e 75 anos (300 dos participantes estão entre 35 e 55 anos). Também foram contatadas 67 entrevistas via FEMAMA, Grupar-EncontrAR, Instituto Oncoguia, Blogueiros da Saúde e Amigos Múltiplos pela Esclerose. O Censuswide cumpre e emprega membros da Sociedade de Pesquisa de Mercado, que é baseada nos princípios da ESOMAR.

 

Com informações de Guia da 3ªIdade, 06/01/2020

  • Foto: Freepik