Efeitos colaterais: conheça alternativas para lidar com os efeitos adversos durante o tratamento do câncer de mama

29.03.2021

Os tratamentos para o câncer de mama possuem grande impacto na vida e rotina dos pacientes. Durante o enfrentamento da doença,  o organismo passa por algumas mudanças, pois o combate às células doentes também afeta as saudáveis, o que resulta em alguns efeitos colaterais.

Manter a saúde física, mental e emocional neste momento é muito importante. E pensando nisso, reunimos algumas dicas importantes para amenizar os principais desconfortos causados pelos tratamentos, confira: 

Cansaço 

A sensação de cansaço, fadiga, é um dos sintomas mais comuns após início dos tratamentos. Ela pode ser consequência de outras doenças, como a anemia, ou resultante  dos medicamentos usados na quimioterapia, imunoterapia ou radioterapia. 

Grande parte dos pacientes relata um cansaço extremo. E, por isso, é importante dividir essa sensação com o seu médico para que ele possa identificar a origem do problema. 

Alternativas 

Há alguns hábitos que podem ser tomados a fim de diminuir a sensação de fadiga: 

  • Procure fazer exercícios e manter uma dieta saudável 

  • Beba bastante água 

  • Busque mudar sua rotina para um ritmo mais desacelerado 

  • Compreenda seus limites 

  • Tenha bons momentos de repouso 

  • Busque técnicas de relaxamento 

Muitas vezes esse cansaço também pode vir da insônia, ansiedade e falta de energia. Respeite seu limite e seu ritmo,  o autocuidado é essencial para deixar o seu corpo em equilíbrio. 

Falta de Apetite, náusea e vômitos 

As náuseas e vômitos são reações comuns após tratamentos do câncer de mama. Em alguns casos elas podem acontecer durante as sessões ou somente após. A causa desses sintomas pode ser como próprio efeito colateral dos medicamentos, ou então pela alterações no metabolismo que também gera, em alguns pacientes, a perda do apetite. A própria doença, quando presente, gera um processo inflamatório sistêmico que está associado a anorexia (falta de apetite) e também à fadiga.

Alternativas 

Para evitar esses sintomas, procure alternativas que facilitem a alimentação: 

  • Opte por alimentos com sabores e cheiros amenos, como torradas e biscoitos, água e sal

  • Faça pequenas refeições 

  • Lembre-se das opções refrescantes (gelatina, picolé) e a base de limão ou hortelã 

  • Descubra os alimentos que fazem você se sentir melhor nos períodos de maior desconforto, converse com seu médico e procure um (a) nutricionista para auxiliar na indicação dos alimentos mais adequados.

  • Gengibre em chás gelados ou lascas para mascar, são um bom auxílio para o controle das náuseas.

Constipação

Outro efeito comum durante o tratamento é a constipação, dificuldade para evacuar. Ela pode ocorrer pela modificação na ingesta, baixa hidratação, inatividade física, ou eventos adversos de analgésicos opioides e medicação contra enjoo..

A constipação ocasiona dores, inchaço, perda do apetite e até mesmo náuseas e vômitos.

Alternativas 

  • A ingestão de líquidos é fundamental no cuidado, assim como o consumo de fibras e exercícios físicos. Em casos mais severos, pode ser necessário o uso de laxativos.

Anemia 

Nos tratamentos de câncer, como a quimioterapia, a anemia passa a ser uma consequência para muitos pacientes. Isso porque existe uma grande divisão celular na medula óssea, para a produção das células do sangue, como  os glóbulos vermelhos. Essa redução nos glóbulos também faz com que algumas funções não sejam realizadas normalmente pelo comprometimento no transporte do oxigênio. 

A anemia também pode decorrer da doença crônica, dos tratamentos ou pela falta de nutrientes no corpo. 

Alternativas 

  • Durma  pelo menos 8h por noite, você precisa de muito descanso!

  • Faça uma dieta balanceada e rica em nutrientes 

  • A suplementação também pode ser uma alternativa

  • Controle seus exames de sangue 

  • Procure realizar apenas atividades essenciais 

  • Em casos mais acentuados, medicações ou transfusões sanguíneas podem ser necessárias.

Alterações no peso 

Perda

A perda de peso pode estar relacionada com as náuseas e vômitos, cansaço, falta de energia e  a anemia, que levam a um desequilíbrio no metabolismo e à perda da massa magra, com piora no desempenho físico 

Ganho 

Já o aumento de peso muitas vezes acontece pelo uso de medicamentos como o corticóide utilizado na quimioterapia, diminuição de exercícios físicos pelo cansaço, alteração na alimentação e  retenção de líquidos. 

Alternativas 

  • Manter uma alimentação balanceada 

  • Adapte exercícios para a sua realidade 

  • Faça o que você consegue 

  • Procure auxílio de uma nutricionista logo que notar alterações no apetite

Inchaço 

O inchaço, ou edema, decorre do acúmulo de líquido em alguma região do corpo e ser causado após alguns tratamentos, como cirurgias e retirada de linfonodos (inguas) . Grande parte do líquido que banha os tecidos periféricos do nosso corpo precisa voltar para a circulação pelo sistema linfático. Quando existem esses processos e os linfonodos são retirados, há alteração na circulação do líquido, que pode começar a acumular, gerando o inchaço. 

Alternativas 

  • Mantenha o braço em posição elevada (acima da altura do coração) e o movimente

  • Aplique compressa fria e faça massagens 

  • Cuide da pele, higienizando e hidratando 

Diarreia

Um dos efeitos adversos que pode acontecer devido ao uso dos medicamentos durante o tratamento é a diarreia. Para melhorar esta situação, o ideal é ingerir alimentos com baixo teor de fibras, evitar alimentos crus e folhas verdes, procurando dar um “repouso” para o intestino. Em caso de eliminação de sangue, pus ou muco, pode haver presença de infecção e um tratamento específico pode ser necessário. 

Pensando nisso, a FEMAMA,  em parceria com o Instituto da Mama do Rio Grande do Sul (IMAMA), desenvolveu o livro de receitas “Um Toque de Carinho”, com foco em pacientes com câncer de mama que precisam realizar o manejo da diarreia.

O eBook está disponível gratuitamente, clique aqui para acessá-lo.

Queda de Cabelos 

Tratamentos como a radioterapia e quimioterapia afetam os folículos pilosos, responsáveis pelo crescimento do pelo. Assim, em algumas situações, os cabelos e outros pelos espalhados pelo corpo podem vir a cair gradativamente ou de uma vez só. 

Não são todos os pacientes que apresentam a queda de cabelos e/ou pelos, variam de acordo com os medicamentos, intensidade do tratamento e organismo de cada paciente.

Alternativas 

  • Em alguns casos é possível utilizar formas de resfriar o couro cabeludo durante a quimioterapia

  • Procure ir cortando o cabelo aos poucos 

  • Evite o uso de secadores muito quentes.

  • Busque alternativas como lenços, chapéus e perucas 

  • Use produtos suaves e faça movimentos leves

  • Quando o cabelo estiver crescendo procure produtos que incentivem o crescimento e sem química 

Dores 

Muitos pacientes podem ter dores após sessões de quimioterapia e radioterapia. Mas também pode ser apresentada como consequência do crescimento do tumor, que acaba pressionando regiões no organismo ou após cirurgias. 

É importante que sempre informe ao seu médico a presença da dor para que ele indique a melhor alternativa para você. 

Alternativas 

  • Comunique seu médico para a prescrição de medicamentos que atendam a sua necessidade específica.

  • Não se automedique 

  • Procure outras alternativas como meditação, yoga, acupuntura, aromaterapia e massagem

  • Busque controlar sua ansiedade e diminuir a tensão muscular 

O autocuidado pode ser o primeiro passo 

Sabemos que passar por um tratamento de câncer não é fácil. Por isso, queremos lembrar que independente da situação, está tudo bem você precisar mudar sua rotina para aquilo que você consegue realizar no momento. 

Não tenha medo ou vergonha de demonstrar suas fraquezas, há muitas pessoas do seu lado para apoiá-la. Os efeitos colaterais causados pelos tratamentos do câncer de mama são temporários e com a ajuda do seu médico podem ser prevenidos ou amenizados.

Lembre-se que cuidar da sua saúde envolve ações para o seu bem-estar físico, mental e emocional!