Entendendo o câncer de mama em estágio inicial

06.09.2021

Quando falamos sobre câncer de mama, é importante ter em mente que ele é o tipo da doença mais incidente entre as mulheres no mundo, independentemente da condição socioeconômica do país. 

Apenas em 2020, foram 66 mil  novos casos de câncer de mama no Brasil, segundo dados do INCA. Em 2019, a taxa de mortalidade foi de 16,4% no país. Mas o risco de mortalidade pode ser muito menor quando ocorre o diagnóstico precoce do câncer de mama. De acordo com a mastologista Maira Caleffi, presidente da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama), há evidências que apontam 95% de chance de cura em casos onde o câncer de mama é diagnosticado em estágio inicial. 

Como identificar o câncer de mama

Os sintomas do câncer de mama podem variar de acordo com o paciente, mas alguns sinais merecem atenção especial: 

  • Inchaço ou vermelhidão de toda ou parte de uma mama — mesmo que não se sinta um nódulo;

  • Nódulo único endurecido;

  • Irritação ou abaulamento de uma parte da mama;

  • Dor na mama ou no mamilo;

  • Inversão do mamilo;

  • Espessamento ou retração da pele ou do mamilo;

  • Secreção sanguinolenta ou serosa sendo expelida pelos mamilos;

  • Linfonodos aumentados.

 

Para auxiliar no diagnóstico precoce do câncer de mama, é essencial realizar os exames de rotina dentro dos intervalos recomendados, como a mamografia - anual a partir dos 40 anos - e ultrassom de mama - uma vez por ano a partir dos 25 anos. No SUS, infelizmente, o exame é realizado em mulheres assintomáticas somente a partir dos 50 anos, a cada dois anos, por isso é muito importante ficar atenta a todos os sinais do corpo. 

É imprescindível que a mulher conheça suas mamas e saiba reconhecer alterações que venham a surgir. A melhor época do mês para a mulher que ainda menstrua realizar o autoconhecimento das mamas é alguns dias após a menstruação, quando as mamas estão menos inchadas. Para as mulheres que já entraram em menopausa, o autoconhecimento das mamas pode ser realizado em qualquer época do mês. 

A qualquer sinal de alteração, é preciso procurar o serviço de saúde mais próximo imediatamente.

Os estágios iniciais do câncer de mama 

O estadiamento ou estágios do câncer de mama é o processo usado para determinar a extensão e gravidade da doença no organismo. Ou seja, quanto o tumor cresceu desde a localização de origem, se atingiu ou não outros órgãos —  se houve comprometimento desses — e o quanto as células se parecem ou não com células normais.

Esse processo de estadiamento é feito após a realização de alguns exames, como os de imagem, com raio-X, ressonância magnética, tomografia computadorizada e outros; ou por exames de laboratório e biópsia das células afetadas.

Em geral, o câncer de mama pode ser dividido em 5 principais estágios, de 0 a 4, sendo o zero o mais inicial e menos perigoso, e os estágios 3 e 4 os mais graves, conhecidos como câncer de mama localmente avançado e câncer de mama metastático, respectivamente.

Estágio 0 - Câncer de mama in situ 

É considerado o câncer de mama em estágio inicial mais precoce, e segundo a American Cancer Society (ACS), também é chamado de carcinoma intraductal, carcinoma ductal in situ ou câncer não invasivo. 

Neste estágio, os tumores são limitados aos ductos mamários. Apesar de poder se apresentar em uma ou em várias partes da mama, por estar dentro do ducto que se estende por toda a mama, este câncer de mama em estágio inicial não entra em contato com os vasos presentes na glândula mamária. Ou seja, ele não atinge  outros órgãos. 

Seu tratamento normalmente é realizado por uma cirurgia na área comprometida e, em alguns casos, radioterapia e hormonioterapia.

Estágio 1 - Câncer de mama em estágio inicial 

Normalmente o câncer ainda possui um crescimento lento e possui menos propensão a  atingir outros órgãos .

Apresenta tumores menores ou iguais a 2 cm que ainda se limitam à mama, sem atingir os linfonodos. Com um diagnóstico realizado precocemente, as chances de cura são ótimas e o paciente tende a responder bem ao tratamento.

Aqui, as células cancerígenas ainda são bem diferenciadas com relação às células saudáveis, parecendo com o tecido mamário em seu estado normal.

Neste caso, a cirurgia frequentemente é o tratamento indicado, assim como a radioterapia em conjunto com a quimioterapia, ou ainda utilizar outros tratamentos após a cirurgia. 

Estágio 2 - Câncer de mama em estágio inicial 

Aqui, pode significar tumores menores ou iguais a 2 cm, com linfonodos comprometidos, ou entre 2 e 5 cm, atingindo ou não os linfonodos, ou ainda tumores maiores do que 5 cm sem atingir os linfonodos.

Ele ainda pode ser curado com certa facilidade, com os mesmos tratamentos indicados para o estágio 1, apenas variando a intensidade e tempo de realização do processo. 

Estágios avançados do câncer de mama

Ao atingir os estágios 3 e 4, os cânceres de mama já podem ser considerados avançados, mas possuem diferentes características que devem ser conhecidas. 

O câncer de mama em estágio 3 é classificado como localmente avançado, o que significa que ele se espalhou para os nódulos linfáticos e/ou outros tecidos da mama, mas não para outros locais do corpo. Normalmente ainda pode ser tratado das mesmas maneiras que aqueles casos em estágio 1 e 2.

Já o câncer em estágio 4, conhecido como câncer de mama metastático, caracteriza-se pela chegada  de células com câncer em  outros locais do corpo, como fígado, pulmões, ossos, cérebro e outros tecidos. Nesses casos, o paciente deve fazer uso de tratamentos que percorrem o corpo todo em busca de células comprometidas, conhecidos como terapias sistêmicas — quimioterapia, imunoterapia, terapia hormonal ou terapia alvo.

Cuidados diários em relação  ao câncer de mama

Olhar sempre com atenção para o próprio corpo, realizar os exames de rotina e o autoconhecimento da mama e do corpo é essencial para identificar o câncer de mama em estágio inicial. Manter os exames periódicos é até mais importante, uma vez que tumores em estágio inicial não são sentidos no toque, somente em exames de imagem. Assim, o tratamento possui uma maior probabilidade de assertividade e as chances de cura são muito maiores. 

Mantenha sua saúde em dia, realize as consultas de rotina e fique atenta a qualquer mudança nas mamas.