Equipe multiprofissional para pacientes com câncer

01.11.2021

Em um cenário ideal, os pacientes com câncer devem contar com uma rede de profissionais capacitados para atendê-los em diversas áreas que são atingidas pela doença e que precisam de suporte especializado. Esta importância se dá pela necessidade de toda a equipe trabalhar junta para otimizar o tempo através das diretrizes estabelecidas.

Este tratamento humanizado e individualizado através de uma equipe multiprofissional para pacientes com câncer pode se voltar para todas as fases da doença, desde o diagnóstico até a reabilitação.

O tratamento com o auxílio de uma equipe multiprofissional para pacientes com câncer é um direito garantido pela lei e a pessoa pode exigir o seu cumprimento.

Profissionais que integram a equipe multiprofissional para pacientes com câncer

Assistente social: ajudará o paciente e sua família a lidar com uma gama de problemas práticos, tais como finanças, cuidado das crianças, situação familiar e relacionamentos, direitos do paciente com câncer, transporte e problemas com os cuidados de saúde. Em alguns locais, pode ser até um navegador do paciente, ajudando-o com demandas gerais durante o seu tratamento.

Terapeuta ocupacional: é a especialidade mais indicada para intervir nas questões ligadas à saúde, educação e vida social. Atua quando uma pessoa está passando por uma limitação, seja ela definitiva ou temporária, que pode afetar sua saúde e suas relações sociais. Irá ajudar a resgatar suas tarefas do cotidiano, bem como a pensar novos projetos e novas atividades a partir de sua doença.

Mastologista ou cirurgião: amais um dos que integram a equipe multiprofissional para pacientes com câncer, a pessoa especialista em cirurgia será consultada antes e depois de realizar uma intervenção conservadora, biópsia ou qualquer outro procedimento cirúrgico. Também removerá tumores e, se necessário, tecidos circundantes.

Clínico/a geral, médico/a pessoal ou médico/a da família: pode ser especialista clínico ou ter uma especialização em ginecologia, medicina interna ou prática familiar. 

Enfermeiras e enfermeiros: responsáveis por monitorar a condição, prover cuidados estruturados de enfermagem, conversar sobre os efeitos colaterais e ajudar o paciente a se adaptar aos efeitos do câncer.

Fisioterapeuta: especialista em saúde que ajuda o paciente a recuperar a força e movimentos após a cirurgia. Ensinará exercícios e outras formas de fortalecer o corpo. Essa especialidade que integra a equipe multiprofissional para pacientes com câncer poderá utilizar massagem ou calor para restaurar e manter a força, funcionamento e flexibilidade do corpo.

Nutricionista: durante o tratamento de câncer, podem mudar os gostos alimentares, o paladar e a aceitação a determinadas comidas; inclusive, o apetite do paciente pode ser alterado. As nutricionistas auxiliam na adequação da dieta às necessidades nutricionais diárias.

Oncologista: esta pessoa é formada em medicina, especialista em cuidados e tratamentos de câncer. Ela ajudará o paciente a fazer escolhas relativas ao tratamento e poderá estar em contato com outros membros da equipe médica.

Patologista: especialista da área médica com treinamento para diagnosticar doenças examinando tecidos e amostras de fluidos. Determinará a classificação (tipo de célula), ajudará a determinar o estágio (extensão) do câncer e fará um relatório de patologia para oferecer opções de tratamento.

Psicólogo/a ou psico-oncologista: Auxilia o paciente a enfrentar melhor o processo da doença, tanto do ponto de vista físico quanto emocional, dando condições para que lidar melhor com processos depressivos, angústias, relacionamento social e medos.

Para saber mais sobre profissionais que integram a equipe multiprofissional para pacientes com câncer clique aqui.

Mantenha sua saúde em dia, realize as consultas de rotina e atente-se a qualquer mudança nas mamas.

Equipe multiprofissional para pacientes com câncer no cuidado paliativo

Os cuidados paliativos e o controle da dor são recomendados durante todo o tratamento de pacientes oncológicos, sendo este visando a cura ou somente o controle. Mesmo quando não há possibilidade de cura para o câncer, a pessoa pode ter qualidade de vida e conviver com a doença controlada ao mesmo tempo. Os cuidados paliativos são um tipo de tratamento multiprofissional, que tem por objetivo proporcionar atenção integral aos pacientes e seus familiares ao longo do curso da doença

O início dos cuidados paliativos se dá no momento em que se descobre a doença, incluindo o psicológico, até mesmo dos familiares. 

Em casos em que o/a paciente esteja impossibilitado de tomar as decisões referentes ao seu tratamento e procedimentos durante o curso do tratamento e, principalmente na fase final de vida, conforme o Conselho Federal de Medicina (CFM), a determinação das condutas pode ser feita por alguém que ele tenha indicado em suas diretivas antecipadas de vontade, independentemente do grau de parentesco. 

Equipe multiprofissional para pacientes com câncer na reabilitação

A grande atuação da equipe multiprofissional para pacientes com câncer na reabilitação após o tratamento é agir ouvindo e levando em consideração todas as possíveis queixas relacionadas às atividades físicas, laborativas e sociais. Além de atuar esclarecendo as dúvidas e oferecendo as informações necessárias para que o paciente retorne para a sua vida.

Indicam-se consultas periódicas a cada três meses até o terceiro ano do tratamento, semestralmente até o quinto ano, e anualmente após o sexto ano. Em pacientes mulheres, é necessário que a equipe multiprofissional para pacientes com câncer na reabilitação se volte para o acompanhamento ginecológico pélvico, realizado uma vez ao ano.  O médico deve acompanhar se há queixa de sangramento e disfunção pélvica. 

O tratamento psicológico segue sendo essencial pois o estado emocional influencia na questão física. Há  pacientes que relatam preocupações ao se sentirem desprotegidos depois do afastamento da equipe de saúde, então seguir com acompanhamento de uma pessoa especialista em psicologia é fundamental.

No caso do câncer de mama, se a cirurgia de reconstrução não for realizada imediatamente, ela pode ser feita depois, a qualquer tempo. Com base no seu histórico médico e estado de saúde, o caso será analisado para avaliar as opções de reconstrução baseadas em fatores como biotipo, objetivos, idade, quantidade de tecido disponível, vontade da paciente em igualar as mamas, estilo de vida e preferências pessoais.

Além disso, ginecologistas e sexólogos/as exercem a imprescindível função de ajudar a pessoa com câncer a manter ou retomar as atividades sexuais, pois é possível que durante o tratamento a libido diminua ou desapareça em meio às preocupações e ao tratamento.

Lembre-se: o tratamento do câncer é prioridade e você não está só! Procure auxílio nos seus familiares e na equipe multiprofissional para pacientes com câncer. Ele está disponível tanto no SUS, como nos planos de saúde.

 

Este conteúdo tem investimento social de: AMGEN, Astellas, GSK, Lilly, Mentor, MSD, Novartis, Pfizer, Roche, Varian