24.09.2021

FEMAMA realiza painel sobre diagnóstico precoce no 8º Congresso Digital Todos Juntos Contra o Câncer

Na terça-feira (21/09), às 16h, foi exibido o painel “Diagnóstico precoce do câncer de mama no Brasil: desafios e oportunidades”, realizado pela FEMAMA dentro do 8º Congresso Digital Todos Juntos Contra o Câncer. Veja a programação:

 > Moderação: Rosane Marchetti, jornalista

 Oportunidades de retomada do rastreamento e diagnóstico precoce do câncer de mama e colo de útero

Dra. Maira Caleffi, Presidente Voluntária da FEMAMA

Mitos e verdades da mamografia

Dra. Maria Helena Mendonça, médica radiologista e membro do Conselho Técnico-Científico da FEMAMA

A qualidade do exame mamográfico no Brasil

Dr. João Emílio Peixoto, físico médico do Programa de Qualidade em Mamografia do INCA

Modelos de diagnóstico ágil

Dr. Luiz Henrique Gebrim, médico mastologista e do Diretor do Centro de Referência da Saúde da Mulher do Hospital Pérola Byington

Mesa de Debates

Todos


A audiência fez algumas perguntas, mas, como o tempo acabou ficando curto, resolveu-se responder posteriormente no site da FEMAMA. Seguem as respostas dos especialistas:

 

Pergunta 1: Gisely

Em relação ao câncer de mama masculino, é raro mas existe, como fazer para este homem saber se tem câncer de mama? Pois não há mamografia para estes público e por isso, quando se detecta já está com o tamanho do tumor considerável.

Dra. Maria Helena Mendonça: 

Gisely agradeço sua pergunta. Em geral o câncer de mama acomete homens mais idosos, e o próprio paciente acaba percebendo um nódulo, ou alguma modificação na região mamária.

O importante é ficar atento ao próprio corpo, mas nem sempre é possível, assim a combinação do exame médico e a percepção do corpo são importantes.

Infelizmente, como você disse, os cânceres detectados e diagnosticados em homens podem estar com tamanho considerável (em geral maior que 2,0 cm), e em estadio avançado significando que além do tumor na mama pode ter ocorrido disseminação. Por este motivo, apesar de não haver recomendação definida para rastreio através da mamografia para homens, alguns centros aconselham que a mamografia seja realizada em homens com alto risco para desenvolver câncer de mama, em geral são indivíduos que sabem ser portadores de mutação genética BRCA, ou descendente de judeu Ashkenazi, história relevante de câncer de mama familiar ou história pessoal de câncer de mama. Espero que esta resposta tenha auxiliado a compreensão deste tema relevante

 

Pergunta 2: Thaís

Podemos conseguir esse material impresso e entregar aos pacientes e em outros lugares?

Dra. Maira Caleffi: Em função de custo, infelizmente não está disponível para todo o Brasil. De qualquer forma, a FEMAMA pode disponibilizar o layout para quem necessitar imprimir em sua região Para realizar o pedido, envie um e-mail para [email protected]

 

Pergunta 3: Magaly

Existe um folder com esses mitos para divulgação na atenção primária?

FEMAMA: no site da FEMAMA você encontra todas informações referentes a atenção primária, acesse aqui: femama.org.br/site/br/noticias

Infelizmente não temos verba para impressão de materiais, mas tudo está disponível de forma online para você! 

 

Pergunta 4: (anônimo)

O silicone influencia no diagnóstico?

Dra. Maria Helena Mendonça: Prezada(o) participante deste painel, obrigada por perguntar sobre um assunto tão específico, mas que certamente muitos gostariam de saber um pouco mais.

Vou responder considerando que sua pergunta é em relação a implante de silicone e rastreamento de câncer de mama através de mamografia. Existe controvérsia sobre se o implante de silicone pode influenciar ou não a detecção de câncer em mulheres assintomáticas. Não há publicação que afirme de modo categórico, mas na prática diária sabemos que o implante de silicone por ter alta densidade pode obscurecer uma lesão na mama.

Felizmente, existem técnicas para reduzir esta dificuldade, que nós radiologistas chamamos de manobra de Eklund (homenagem ao radiologista que descreveu a manobra); ela consiste em deslocar posteriormente o implante de silicone e anteriormente o tecido da mama e assim, obter radiografias adicionais visando maior quantidade possível de tecido mamário examinado.

No entanto, em algumas situações esta manobra não é possível, como no casos de mínima quantidade de tecido mamário ou no caso de contratura, quando a rigidez da cápsula fibrosa que o organismo fabrica ao redor do implante se torna endurecida e impede a realização adequada do exame, inclusive a compressão eficaz, por gerar desconforto ou dor, podendo prejudicar ou até inviabilizar o estudo mamográfico. Nestas situações pode-se complementar o exame clínico minucioso e o mamográfico com estudos por imagem adicionais, o mais comum é a ultrassonografia, ou ainda se houver indicação, até mesmo o exame por imagem de ressonância magnética. No entanto, a mamografia ainda permanece como o método ideal para rastrear câncer de mama, tanto em mulheres com implantes quanto em mulheres sem implantes mamários de silicone.

 

Pergunta 5: Gisely

Mulheres com mama muito pequena, tem como fazer mamografia, ou é mais adequado realizar um outro método para diagnóstico de câncer de mama?

Dra. Maria Helena Mendonça: Ótima pergunta Gisely. Realizar mamografia em mulheres com mama de volume pequeno é um desafio, assim como o exame em homens. No entanto, deve-se procurar um serviço de referência dedicado a estudos mamários e fazer a tentativa, apenas estimar que o volume da mama é pequeno, sem ao menos tentar não é a melhor decisão, pois ainda não há um método de rastreio no momento que substitua a mamografia. Se um bom serviço de imagem constatar, e relatar de modo adequado no laudo médico, que a mamografia ficou aquém do desejável, possivelmente o próprio radiologista irá sugerir complementação, sendo a ultrassonografia o método mais utilizado em conjunto com a mamografia.

 

Pergunta 6: Teresinha

Eu tive câncer de mama em 2009 e 2017 no ovário. Qual exame fazer para saber se futuramente eu posso ter outra mama?

Dra. Maria Helena Mendonça: Prezada Teresinha, nós da FEMAMA gostaríamos que você entrasse em contato no nosso e-mail [email protected] e formulasse com mais detalhes a segunda parte de sua pergunta, bem como sua idade. Nosso desejo é que nenhuma pergunta fique sem resposta e sua participação é importante pois nos dá oportunidade para transmitir informações sinceras e de qualidade para as/os interessados neste assunto.

Nós da FEMAMA desejamos que este diálogo inicial através destas perguntas e respostas após o painel TJCC, se torne uma ferramenta de disseminação de conhecimento e compartilhamento de informações relevantes. Um abraço afetuoso de FEMAMA.

 

Pergunta 7: Merula

Adorei a ideia de fazer o atendimento integrado assim que se identificar alta suspeita. Quais os desafios para implementar um modelo como este em outros serviços credenciados?

Dr. Luiz Henrique Gebrim: Precisamos ter equipe treinada para realizar biópsia por agulha (core), agulhas descartáveis e laboratório de patologia ágil para resultado em 15 dias com imunoistoquímica.

  • 8º Congresso TJCC